2010

Adilson Fernandes Júnior
São Paulo – Programa Iam
Projeto: Identidade: Tambor
Idade: 24
Site: http://www.portodeluanda.maracatu.org.br

Em 2003, Adilson, juntamente com outras pessoas, ajudou a fundar o Maracatu Porto de Luanda, movimento cultural que promovia oficinas e pesquisas de Maracatu do Baque Virado. O Maracatu é uma manifestação cultural tradicional do Estado de Pernambuco. Em 2008, a partir dessa iniciativa inicial, esse grupo de articuladores culturais, do qual Adilson faz parte, criou o projeto Identidade: Tambor, na região leste da cidade de São Paulo, com o objetivo de promover a iniciação musical da comunidade e a tolerância cultural, por meio de oficinas gratuitas de dança, percussão, canto, construção de instrumentos e ensaios abertos do Maracatu Porto de Luanda. Com este trabalho, Adilson acredita que tem muito a contribuir para a promoção da tolerância e a valorização da cultura afro-descendente, e os resultados têm sido bastante motivadores.

Adriano Pereira Basilo de Oliveira
São Paulo – Programa Iam
Projeto: Amigas de Pano
Idade: 26
Site: http://www.amigasdepano.wordpress.com.br

A proposta do empreendimento social Amigas de Pano surgiu em 2008, a partir do talento e da vontade de um grupo de mulheres em aprender a criar uma linha de produção voltada para confecção de bonecas de pano. Inicialmente, o projeto procurou beneficiar e capacitar jovens e adolescentes moradores do bairro Parque Imperial, na cidade de Barueri, porém, estendeu gradualmente sua ação à população feminina economicamente ativa, capacitando, desde então, um grupo de 30 mulheres com idades de 18 a 65 anos. Além de instrumentalizar jovens e adultos da cidade de Barueri, para a elaboração de projetos de captação de recursos e desenvolvimento de planos de negócios locais, o projeto também incentivou as propostas mais inovadoras de atuação e empreendedorismo social, com um recurso inicial para implementação da ação.
Adriano contribuiu com o grupo para a organização do projeto e captação de recursos, possibilitando que o Amigas de Pano fosse uma ação viável e rentável, concretizando parcerias que contribuíram para a realização do sonho de muitas mulheres, além de aumentar a renda da população feminina do bairro.

Angélica Araújo Santiago
São Paulo – Programa Iam
Projeto: Cursinho Chance
Idade: 24
Site: http://www.projetochance.org.br

Como moradora da comunidade de Paraisópolis, zona sul de São Paulo, Angélica teve que enfrentar condições adversas para encontrar oportunidades e condições acadêmicas para ingressar em um curso superior. Desde então, resolveu que deveria, também, dedicar esforços para criar oportunidades e condições de acesso ao ensino superior a outros jovens daquela comunidade. Hoje, Angélica é aluna do curso de Atividade Física e Esportes, na Universidade Anhembi Morumbi, e coordenadora do Projeto Chance, que foi criado há três anos com a proposta de educação inclusiva. A cada ano são atendidos 120 alunos, que além de frequentarem o curso pré-vestibular, têm a oportunidade de participar de seminários para orientação de busca de empregos e concursos de poesia e redação. Com este projeto, que visa beneficiar pessoas de baixa renda familiar, acredito que posso contribuir para a construção de uma sociedade mais justa e economicamente mais próspera.

 

Débora Maria dos Reis
São Paulo – Programa Iam
Projeto: Capulanas Cia de Arte Negra
Idade: 28
Site: http://www.ciacapulanasblogspot.com

Motivada por um trabalho que desenvolveu no curso de Dança da Universidade Anhembi Morumbi, Débora articulou-se com mais três amigas e fundaram o grupo Capulanas Cia. de Arte Negra. Elas estavam engajadas pela necessidade de expressar suas angústias e expectativas de vida como jovens negras da sociedade Brasileira. O grupo Capulanas atua na área artística e de formação, oferecendo espetáculos cênicos, oficinas de artes, dança, teatro, música, tranças, artesanato, palestras etc. A proposta é trabalhar na valorização da auto-estima e com as referências positivas dos padrões estéticos, intelectuais e históricas das raízes afro-descendentes, junto à população da periferia de São Paulo, principalmente com mulheres e crianças negras. O Capulanas Cia. de Arte Negra nasceu da vontade de combater, junto com a sociedade, o machismo e os preconceitos sofridos por mulheres em qualquer situação, principalmente a moradora da periferia.

Douglas Samoel Fonseca
São Paulo – Programa Iam
Projeto: Curta a imagem na escola
Idade: 27

Douglas é professor do ensino fundamental, médio e educação de jovens e adultos (EJA). Inspirado por um conceito do cineasta Brasileiro Glauber Rocha, que na década de 60/70 dizia fazer filmes com “uma câmera na mão e uma ideia na cabeça”, decidiu estimular a produção de vídeos por alunos de escolas públicas da região de Ermelino Matarazzo, zona leste de São Paulo. Criou, então, o projeto “Curta a imagem na escola”, como uma forma de viabilizar a produção e exibição de vídeos de alunos, numa articulação entre escolas, bibliotecas e outros espaços culturais da periferia da cidade, desenvolvendo, nestas pessoas, habilidades artísticas, de comunicação e profissionais. Além de contribuir com o processo de aprendizagem e de apreensão das expressões culturais, o projeto inicia a perspectiva de qualificação preparando-os para o mercado de trabalho.

Eulália Henrique da Silva Leonardo
São Paulo – Programa Iam
Projeto: Sobrato
Idade: 28

A partir de sua formação como Terapeuta Ocupacional, juntamente com outros amigos formados nessa mesma área, Eulália identificou algumas necessidades para promover uma vida mais saudável de um grupo de pessoas que era beneficiado por cestas básicas no programa de uma organização social. Dessa preocupação surgiu o projeto Sobrato, com a proposta de despertar nessa população local o senso crítico, a reflexão, a autonomia e a criatividade nas situações cotidianas e adversas, fortalecendo as potencialidades individuais e as relações interpessoais. Atualmente, o projeto atende à população com vulnerabilidade sócio-econômico-pessoal, da comunidade São Francisco de Assis, na zona leste da Grande São Paulo. O Sobrato é subdividido em dois projetos de ação: o Brincar Participativo, que é direcionado a crianças e adolescentes para a participação deles como sujeitos interativos em seus meios; e o Ateliê Terapêutico/Grupo Geração de Renda, que é voltado aos adultos para a construção de experiências singulares e coletivas. O projeto tem a função de explorar os potenciais dos participantes, permitindo que se reconheçam como agentes de suas próprias histórias e ações.

Francielen Bernardo da Silva
São Paulo – Programa Iam
Projeto: Cultura Dinâmica
Idade: 24
Site: http://www.culturadinamica.com.br

Por meio do desenvolvimento de trabalhos voluntários em sua comunidade, no bairro dos Pimentas , na cidade de Guarulhos, Francielen percebeu a carência de incentivos à cultura e à educação local. Juntamente com um grupo de universitários, Francielen resolveu, então, propor algumas atividades paralelas ao ensino regular e incentivar as crianças a estudarem e se interessarem por práticas culturais. Assim, nasceu o projeto Cultura Dinâmica, que tem por objetivo tornar acessível as práticas culturais e de leitura entre crianças e jovens que têm dificuldades de aprendizagem na escola, com a promoção de práticas culturais e estímulo à autoestima dos participantes. Mobilizando a contribuição de universitários, educadores, pais e pessoas da comunidade, o projeto organiza atividades como aulas de teatro, dança, artes plásticas, passeios culturais, rodas de leitura, oficinas de meio ambiente e palestras.

Francini Nicolau Barbosa de Gusmão
São Paulo – Programa Iam
Projeto: Oficina de Comunicação da Carta ao Filme
Idade: 25
Site: http://www.dacartaaofilme.wordpress.com

Francini Barbosa conheceu Renata Martins e Tiago Franco Marques no curso de Cinema da Universidade Anhembi Morumbi. Sendo três bolsistas numa universidade particular e moradores de áreas carentes de opções de lazer, sempre tiveram interesse em ações que promovessem a inclusão social e acesso à cultura. Em 2009, criaram o projeto Oficina de Comunicação: da carta ao filme, com o objetivo de compartilhar o conhecimento adquirido na universidade, auxiliando jovens a exercerem seus direitos de livre expressão na sociedade de maneira mais consciente e eficiente, através de textos literários e técnicos, independentemente de sua condição socioeconômica. comunicação com um grupo de 20 jovens doO projeto desenvolve um trabalho de reflexão sobre a bairro Cidade Líder, zona leste de São Paulo. As atividades da oficina são divididas em duas fases. Na primeira fase, os alunos exercitam a comunicação em diferentes estruturas da linguagem escrita: carta, e-mail, notícia, relatório, conto, crônica e poema. Alguns dos textos produzidos nesta fase são selecionados e publicados em um fanzine que é distribuído gratuitamente na comunidade. A segunda fase apresenta aos alunos o roteiro cinematográfico e a linguagem audiovisual. Após as aulas teóricas, os alunos criam seus próprios roteiros e dois destes roteiros são transformados em vídeos. Para a realização destes vídeos, os alunos participam de aulas de produção audiovisual, fotografia e áudio, e utilizaram câmeras fotográficas e filmadoras digitais de baixo custo. Ao final da oficina os vídeos são exibidos para a comunidade.

Gabriela Marques Mendes da Silva
São Paulo – Programa Iam
Projeto: Afrobase
Idade: 22
Site: http://www.nacao.org.br

Como integrante do projeto Treme Terra, grupo de espetáculo de dança e percussão com raízes na cultura afro-Brasileira, Gabriela ajudou a desenvolver uma nova iniciativa, de abrangência cultural mais ampliada e incorporada pela ONG Instituto Nação. Depois de três anos atuando no Morro do Querosene, nasce o AFROBASE, agora sediado no Rio Pequeno, bairro com grande vulnerabilidade social da população, na região norte da cidade de São Paulo. O Afrobase tem o principal objetivo de constituir um núcleo de educação da cultura afro-Brasileira, que atenda jovens de baixa renda, entre 10 a 21 anos, moradores das comunidades: Rio Pequeno, São Domingos, Sapé, São Remo, Mil e Dez, Jaguaré e Morro do Querosene. Para isso, o projeto oferece oficinas regulares de dança afroBrasileira e percussão para 100 jovens, além de outras atividades de cunho artístico e educacional, dentro de tal temática cultural. Os princípios do Afrobase são de ressignificação do espaço como local de resistência simbólica e de identidade cultural, fortalecendo a auto-estima, o sentimento de pertencimento do indivíduo ao seu grupo, à sua comunidade e à sua cidade.

Geilsa Santana Rios
São Paulo – Programa Iam
Projeto: Informática Educativa
Idade: 29
Site: http://www.projetoinformaticaeducativa.blogspot.com

Geilza acredita que a tecnologia, além de ser um importante instrumento para auxiliar na aprendizagem de crianças e adolescentes, pode contribuir de maneira significativa para
a inclusão social e cultural, por meio de acesso a informações e conhecimentos de forma organizada, bem como pelo domínio de competências e habilidades da informática, da comunicação e da expressão com o uso de diversas linguagens. É com base nesses princípios que Geilza desenvolve, como coordenadora na ONG Centro Comunitário e Creche Sinhazinha Meirelles, o Projeto Informática Educativa. A iniciativa é voltada a 240 crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade e risco social, usando softwares e jogos educativos (multimídias) na região do Rio Pequeno. Os adolescentes atuam como multiplicadores, compartilhando experiências e conhecimentos de forma lúdica com as crianças. Neste projeto, são desenvolvidas atividades com o foco na cultura, comunicação e no brincar que leva em conta a interdisciplinaridade. Como ampliação do impacto de suas ações, o projeto realiza também intercâmbio de experiências, com escolas e organizações sociais do entorno, por meio de eventos culturais, palestras e ações conjuntas.

Helio Antonio de Lima Junior
São Paulo – Programa Iam
Projeto: Sonho Equilibrista
Idade: 21
Site: http://www.grupometades.blogspot.com

Quando terminou sua formação em Dança Contemporânea, Hélio decidiu criar um projeto que engajasse os adolescentes nas práticas artísticas, resgatando-os das ruas. Surgiu, então, a ideia do Projeto Sonhos Equilibristas. O projeto é desenvolvido em parceria com o CIC – Centro de Integração da Cidadania (Órgão da Secretaria de Justiça e Direito da Cidadania), e visa atender crianças e adolescentes em situação de risco e vulnerabilidade social, no bairro dos Pimentas, cidade de Guarulhos. É uma ação socioeducativa que acontece desde 2005. Jovens participantes, com idades entre 07 e 29 anos, frequentam aulas de Dança (Ballet, Jazz, Dança Contemporânea), aulas de Inglês e Reforço Escolar (Língua Portuguesa), além de se apresentarem em Teatros, Escolas, Festivais, Encontros e Shoppings da cidade de
Guarulhos e São Paulo.

Henrique Rocha Mendes
São Paulo – Programa Iam
Projeto: Batuque Arte – Tambores do Brasil
Idade: 21
Site: http://www.batuquearte.com.br

Nos finais de semana, Henrique se reunia em sua casa, com um grupo de amigos, todos amantes de música. Como não tinham dinheiro para comprar os instrumentos, faziam batucadas nas panelas, baldes, e potes no quintal da casa dele. Os garotos da vizinhança adoravam e ficavam assistindo do portão da casa. Henrique, então, decidiu que aqueles momentos não poderiam ser restritos a ele e seus amigos, mas a comunidade também precisava de uma alternativa de acesso à arte.
Em 2008, Henrique entregou um projeto para oficinas de percussão e dança no CEU ALVARENGA, um espaço público educacional e cultural da Prefeitura de São Paulo. Tão logo foi aprovado, começou, juntamente com o grupo de amigos, a desenvolver o trabalho. Nascia o projeto Batuque Arte – Tambores do Brasil, uma ação cultural realizada por jovens moradores da comunidade da Pedreira, zona sul de São Paulo. O grupo atende, voluntariamente, mais de 100 crianças e adolescentes ensinando percussão, canto, e danças populares, que mescla ritmos, danças e cantos tradicionais do Brasil e da África, com a cultura advinda da realidade social da própria comunidade.

Ítalo Batista Ventura da Silva
São Paulo – Programa Iam
Projeto: Podologia para todos
Idade: 20

Quando entrou para o curso de Tecnologia em Podologia, na Universidade Anhembi Morumbi, Ítalo ajustou o seu olhar para identificar problemas posturais em determinados segmentos da população, particularmente em uma parcela de pessoas que não têm acesso fácil às informações e aos serviços especializados de saúde. No bairro de Cumbica, no município de Guarulhos, encontrou o parceiro ideal para colocar em prática esse seu compromisso social: a Escola Estadual Comandante João Ribeiro de Barros. Passou, então, a trabalhar com uma comunidade escolar que envolve crianças, jovens, adultos, pais e educadores. O projeto Podologia para Todos é desenvolvido por duas ações distintas e paralelas. A primeira visa dar atenção ao público jovem e adulto, alunos da escola, com encontros mensais para orientações sobre os cuidados necessários com a higiene, profilaxia e saúde dos pés. A segunda ação é com um grupo de crianças com necessidades especiais, para intervenções podológicas e confecção de palmilhas, visando à correção postural. Com a ajuda de outros voluntários e parceiros, Ítalo produz e fornece, gratuitamente, essas palmilhas às crianças atendidas, fazendo o acompanhamento e o estudo de evolução dos casos.

Jesse Scarpellini Vieira
São Paulo – Programa Iam
Projeto: Academia de Música INRI – Música e Cultura para Todos
Idade: 22
Site: http://www.academiademusicainri.wordpress.com

Mesmo que alguns beneficiários não sigam a música como carreira profissional, poderão se tornar líderes e cidadãos com capacidade de fazer a diferença na sociedade. Jessé, um dos idealizadores deste projeto, sabe muito bem qual a importância de uma oportunidade como essa para as pessoas com dificuldade de acesso à cultura musical. Quando era criança, ele participou do projeto Guri, uma iniciativa da associação AAPG, em parceria com o Governo do Estado de São Paulo, que visa promover a educação musical e a prática coletiva de música. Depois de passar por renomados conservatórios de música de São Paulo, Jessé ingressou, também, no curso de Administração da Universidade Anhembi Morumbi. Com toda a experiência, conhecimento acadêmico e compromisso com a cultura musical do Jessé, a comunidade de São Paulo pode ter a certeza de que a gestão da Academia de Música está em boas mãos.

Joyce Ferreira
São Paulo – Programa Iam
Projeto: Ação Periférica
Idade: 24
Site: http://www.genv.net/pt-br

Joyce foi aluna do curso pré-universitário popular MSU – Movimento Sem Universidade, Unidade Taboão da Serra. Lá conheceu Bruno Zanqueta e, juntamente com ele, em 2008, pensaram em uma forma de estimular a conscientização social das pessoas deste bairro. Criaram, então, o projeto Ação Periférica, baseado no descontentamento de jovens de Taboão da Serra, interessados em contribuir com a formação cultural da população do bairro Jardim Saporito. Ação Periférica é uma iniciativa que visa levar informação, discussão e reflexão sobre diversos temas da sociedade, como elementos fundamentais para a transformação da realidade social e para a garantia da cidadania. Uma das missões é fazer com que os participantes sintam-se responsáveis pelo projeto e que a comunidade construa conhecimento e consciência coletiva, por meio das experiências cotidianas.

Luiz Gledson Vieira de Matos
São Paulo – Programa Iam
Projeto: Graffistencil
Idade: 28

Graffiti é uma forma de expressão cultural que utiliza instrumentos e técnicas para registrar escritas, pinturas ou grafismos, normalmente em superfícies planas externas de espaços urbanos. Stencil é uma técnica do graffiti que consiste na produção artesanal de uma matriz que será utilizada pelo próprio artista na pintura de sua mensagem. Luiz Gledson é um jovem que sempre acreditou que a cultura popular, a cultura das tribos urbanas, a identidade da “crew” (grupo de grafiteiros) e o sentimento dos jovens, em situação de exclusão dos bens produzidos pela sociedade, podem conquistar seu espaço de expressão por meio do graffiti. O compromisso de Luiz, portanto, é com toda a gente que está restrita à margem da produção e do consumo necessário de bens culturais, fundamentais para a consolidação da cidadania pessoal e coletiva.
Graffistencil são oficinas, criadas por Luiz, para jovens em condições de vulnerabilidade social da região de Cidade Ademar, zona sul de São Paulo, que proporcionam aos participantes adquirirem conhecimentos sobre história da arte, fanzine, graffiti e stencil-art. Após o curso, esses jovens estão em condições de disseminar os conhecimentos para outras pessoas de suas comunidades, transformando-se em agentes culturais, que contribuem para a conscientização e a manifestação popular num movimento espontâneo de contra-cultura aos padrões hegemônicos.

Marco Antonio Ponce
São Paulo – Programa Iam
Projeto: Literatura na Cesta Básica
Idade: 29
Site: http://www.circodetrapo.com.br

Marco tem uma filha com Fabiana Alves. Certo dia, em uma conversa familiar, decidiram pegar os livros infantis da filha e levar para uma feira-livre, colocando-os ao acesso de outras crianças e adultos. Nasceu, neste momento, mais um filho do casal: o projeto Literatura na Cesta Básica. A ação central do projeto é a montagem de uma banca de livros na feira-livre do Jardim Santa Maria – zona leste de São Paulo, onde é realizada mediação de leitura e empréstimo de livros. O público-alvo do projeto são crianças e adolescentes de 04 a 16 anos, professores e arteeducadores. Para complementar a intervenção cultural e social na região, o projeto realiza também apresentações de contadores de histórias, encontros com autores e ilustradores, oficinas de narração de histórias, formação de mediadores de leitura e festas comunitárias temáticas. Os autores da iniciativa, Marco e Fabiana, além da gestão do projeto atuam, também, como mediadores de leitura e contadores de histórias. E a feira-livre, um tradicional local de comércio popular de alimentos, passou a ser também um espaço de consumo de literatura infantil.

++Sheila Correia Ramos
São Paulo – Programa Iam
Projeto: Oficina e Mostra Rádio-Visualizar
Idade: 27
Site: http://www.radiovisualizar.blogspot.com

Quando Sheila terminou o curso de Rádio e TV, ela tinha muitos sonhos profissionais, caixinhas de som, já podem criar uma Rádio Web. Mas apenas uma certeza: queria ajudar crianças e jovens em situação socioeconômica desfavorável a se apropriarem dos recursos de comunicação, para transporem os limites educacionais e culturais. Logo, surgiu uma oportunidade. Sua mãe trabalhava em uma escola municipal, que tinha conseguido montar um laboratório de Rádio, mas não tinha o conhecimento técnico e nem um projeto educativo que proporcionasse aos estudantes o uso adequado dos equipamentos. Pronto! Começava, nesse momento, um trabalho que deu origem à Oficina Rádio – Visualizar. O projeto ensina técnicas aos jovens e crianças para trabalharem com uma Rádio em benefício da sua comunidade e para descobrirem a importância de gêneros que nem sempre têm a atenção dos produtores comerciais: documentário, rádio-novela, programas infantis, reportagens, entrevistas e criações experimentais. As aulas duram em torno de três meses e logo os alunos percebem que não é necessário ter grandes equipamentos para se ter uma boa rádio. Se houver acesso à internet, microfone e

Thiago Alves Britto
São Paulo – Programa Iam
Projeto: MIAU Produções
Idade: 23
Site: http://www.miauproducoes.site90.com

A MIAU Produções é um empreendimento formado por jovens que se conheceram no Projeto Telecentros Multimídia Sustentável, apoiado pela Rede Jovem, organização que promove cursos na área digital e multimídia. Thiago é um dos jovens que, recebendo a herança dos conhecimentos e dos equipamentos desse processo incial, criaram esse novo empreendimento com o intuito de gerar uma fonte de renda, baseada nos preceitos da autogestão e economia solidária. Atualmente a equipe é formada por quatro empreendedores, mas há a perspectiva de que outros jovens possam ser incorporados no empreendimento para se apropriarem dos conhecimentos técnicos, de autogestão e de economia solidária, além do acesso à geração de renda. A MIAU atua nas áreas de edição de vídeos, designer gráfico, desenvolvimento de sites e transcrição VHS p/ DVD, oferecendo serviços acessíveis de divulgação para empresas e pessoas com pequenos empreendimentos, nos bairros de São Miguel Paulista e Guaianazes. Atualmente a MIAU Produções tem parcerias com o INSTITUTO HSBC SOLIDARIEDADE, a ITCP – FGV -Tecnológica de Cooperativas Populares da Fundação Getúlio Vargas e a ANTEAG – Associação Nacional de Trabalhadores e Empresas de Autogestão, dentre outras.

Vânia Cristina Feitosa
São Paulo – Programa Iam
Projeto: Cineclube Grajaú – Cinema na Estação
Idade: 29
Site: http://www.centrocineclubista.blogspot.com

Vânia participa da ONG Cineclube Grajaú, tanto nos aspectos de administração, quanto no desenvolvimento de projetos culturais. Apesar de morar em uma cidade que está a 50 km de distância do município de São Paulo, Vânia assumiu o compromisso de levar o cinema à população de baixa renda do bairro de Grajaú, zona sul de São Paulo, com filmes diversificados e com entrada gratuita às sessões. O Cineclube Grajaú foi criado em parceria com a Sub-Prefeitura Capela do Socorro e é administrado pela Associação Centro Cineclubista de São Paulo, entidade sem fins lucrativos voltada para projetos de cinema e cineclubismo. É uma sala de cinema com 120 lugares e projeção em DVD e está localizada no Centro Cultural Palhaço Carequinha, no bairro Grajaú. Com as atividades do Cineclube, Vânia acredita que, além do lazer gratuito, a comunidade tem a oportunidade de fazer uma reflexão coletiva dos filmes, de valorizar a reunião em grupos de vizinhança e de ter valorizada a sua auto-estima, como moradores de um bairro que promove programações culturais sistemáticas.

821a2449517a68d9fa292cac9f3bcedeiiiiiiiiiiiiiiiiiiii